ESTUDOS

OS 144 MIL E A GRANDE MULTIDÃO



OS 144 MIL E A GRANDE MULTIDÃO


LEITURA REPONSIVA: Apocalipse 7:1-10


VERSO ÁUREO: “Porque não me envergonho do Evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê: primeiro do judeu, e também do grego”. (Rom. 1:16)


INTRODUÇÃO DA LIÇÃO

Vimos no estudo anterior que, a princípio, a salvação foi pregada com exclusividade ao povo judeu. Na verdade, a este povo foi dado o privilégio de representar a Deus e Seu reino e levar a luz, o conhecimento da verdade, a todas as nações. Israel falhou e o Senhor passou a outro povo esta missão, até um tempo determinado. Algumas correntes religiosas afirmam que este número de escolhidos também envolve gentios convertidos e outras afirmam que o período de assinalamento ainda é futuro. Qual é a verdade a respeito? Fornece a Bíblia uma definição sobre o assunto?

QUESTIONÁRIO

1. Como tem sido definido os 144 mil pelos dispensacionalistas e pelos defensores da Torre de Vigia?

Acreditando que o anticristo assumirá o comando do governo do planeta, após um suposto rapto secreto da Igreja e a retirada do Espírito Santo, afirmam que se levantarão os 144, dentre os israelitas naturais e que estes se tornarão poderosos pregadores e haverá um trabalho de evangelismo como nunca houve antes. A Torre de Vigia já advoga que os 144 mil, pequeno rebanho ou congregação – Igreja de Deus, é uma classe de pessoas cujo assinalamento começou no Pentecostes, mas que até hoje ainda existem uns poucos entre os homens e que está elite vai morar no céu com Jesus, de onde governará os súditos, a grande multidão, na Terra. Ensina a vinda ou presença de Jesus desde 1914, época que começou a reinar desde os céus e que ocorreu a ressurreição espiritual ou celestial dos 144 mil selados. Os que vão morrendo, ressuscitam espiritualmente e vão imediatamente ao Céu, juntar-se aos demais. (Estudo Perpicaz das Escrituras, Antigo Ressurreição, Pág 432,433).

2. Biblicamente, qual era a situação do povo gentio em relação a Deus e Seu povo, a Comunidade de Israel?

Os gentios estava separados do povo de Deus (Efés. 2:11-14). Eram considerados imundos e não haveria um bom relacionamento com os judeus (Atos 10:28; 11:3,18; João 18:28; Mat. 8:8,10). De Israel era tudo: os oráculos divinos (as Escrituras), o culto, os concertos, a lei, as promessas e o próprio Cristo (Rom. 3:1; 9:2-5).

3. Que importantes promessas haviam os gentios e desde quando começaram a verdadeiramente participar como povo de Deus?

Deus queria que os homens das nações O servissem e recebessem, igualmente, as promessas de Israel (Isaías 55:3-5; 56:3,7). O judaísmo, nos dias de Jesus estava decadente. Era mister uma reorganização. Jesus, com Sua morte, estabeleceu um Novo Pacto e reergueu o Tabernáculo de Davi, abrindo espaço aos gentios (Atos 15:7,14-17; Amós 9:11,12; Rom. 9:25; João 10:16). Ao se mostrarem hostis ao Messias e Sua mensagem, estavam rejeitando a Pedra Angular e abrindo mão de sua exclusividade como arautos da mensagem de Deus (Mat. 21:40-43; I Ped. 2:7-10; Atos 13:46); estavam passando o sacerdócio para as mãos de outro povo.

4. A quem, primeiramente, foi dirigida a pregação do Evangelho e por que?

Era mister, conforme, já estudamos, que o pacto fosse feito com o povo de Daniel. A mensagem do Messias, realmente foi anunciada a Israel (Mat. 10:5,6; 15-22-28; Luc. 24:47; Atos 3:26; Rom. 1:16 e 2:9,10). O número de 144 mil israelitas teria ser alcançado, antes do ingresso da grande multidão. Cornélio marcou o início da grande multidão na Igreja.

5. Que sinais distinguem os 144 mil dos participantes da grande multidão?
 

     
a) Ao examinar as duas passagens que mencionam os 144 mil, verificamos alguns contrastes entre os dois grupos (Apoc. 7:1-15; 14:1-5). Isto é bom, pois não admite confusão ou mistura de seus participantes. B/C) Enquanto por um lado os 144 mil representam um número limitado de israelitas naturais, a grande multidão é incontável e é formada por pessoas de todas as nações da Terra. D) Os 144 mil foram recrutados em um tempo de paz (os quatro ventos estavam retidos pelos quatro anjos – Apoc. 7:1-3; Atos 9:31) enquanto que a grande multidão não. E) Os 144 mil são primícias, ou seja, primeiros frutos. São formados dos primeiros convertidos dentre os israelitas (Apoc. 14:4). Não é possível se considerar primícias os crentes dentre as nações gentílicas. F) Os 144 mil não se contaminaram com as mulheres; são virgens (Apoc. 14:4), isto é, nunca fizeram parte de organizações religiosas fora do judaísmo. Mulher, na bíblia, pode significar religião ou a Igreja verdadeira ou falsa (II Cor. 11:2; Apoc. 12:1,2,6; 17:1-6). Os gentios sim, vieram de religiões pagãs, eram contaminados.

6. Por que não se pode colocar gentios convertidos entre os cento e quarenta e quatro mil ou confundi-los com os israelitas espirituais?

Dizer que os 144 mil são israelitas espirituais (gentios convertidos) é destruir a comparação feita em Apoc. 7:4,9. Todas as vezes que aparecem gentios e judeus lado a lado, temos que entender literalmente, ou seja, judeu e gentio natural. É o caso de outras passagens onde não tem como dizer que o judeu ali citado é um grande gentio convertido (Atos 13:45,46; Rom. 1:16; 2:9,10; 3:9; Gál. 3:28).

Conclusão: Os 144 mil representam os primeiros cristãos israelitas naturais.