ARTIGOS

JERUSALÉM UMA PEDRA PESADA (...)



Os meios de comunicação divulgam em suas manchetes, talvez o grande acontecimento do século até então. Daí a importância de também divulgarmos por este periódico da UNID, o que pode representar a ação do governo norte americano sobre Jerusalém – a cidade Santa.  Está sendo considerado por muitos de que o dia 06 de Dezembro de 2017 é uma data histórica. O Presidente dos Estados Unidos da América fez anúncio na Casa Branca: “Isso não é nada mais nada menos do que o reconhecimento da realidade”.

Disse o mandatário: “Determinei que este é o momento de reconhecer oficialmente Jerusalém  como a capital de Israel.” E continua: “ Isso não e nada mais nada menos do que o reconhecimento da realidade”. Trump descreveu a ação como um “passo há muito devido” para avançar um processo de paz no Oriente Médio que seja duradouro. As negociações  ente israelenses e palestinos  estão atualmente congeladas.  Portanto, neste últimos dias temos acompanhado com máxima atenção os desdobramentos desta ação do governante norte americano que isola os EUA. em um dos assuntos mais polêmicos da diplomacia.  Líderes mundiais de diversos países – aliados e rivais dos EUA. – criticaram a decisão do dia 06/12/17. Muitos temem que ela leve a um aumento da violência no Oriente Médio.

Israel conquistou a porção Oriental de Jerusalém em 1967, anexando-a em seguida e declarando toda a cidade como sua capital.  A medida não foi reconhecida nem pelos EUA. – nem pela comunidade internacional, e maior parte dos países mantém suas embaixadas em Tel Aviv. Os palestinos, por sua vez, reivindicam  que Jerusalém Oriental  seja a capital de seu futuro Estado. A mudança da embaixada para Jerusalém está amparada um uma lei aprovada pelo Congresso americano em 1995, no governo democrata Bill Clinton, que estabeleceu que a Embaixada dos EUA., em Israel deveria ser transferida de Tel Aviv para Jerusalém. Esta mesma lei, para evitar mergulhar a região novamente em instabilidade,  permita ao presidente, a cada seis meses, adiar a mudança por mais um semestre alegando questões de segurança.  Desde Clinton, todos os presidentes do EUA., sempre emitiram a ordem impedindo a mudança, incluindo Trump em junho/2017. Como os seis meses venceram dia 04 de dezembro último, Trump resolveu anunciar  dia 06 de dezembro que os EUA., passam a reconhecer Jerusalém como a capital de Israel.

A decisão americana gerou uma onda de manifestações em todo o mundo. O Irã advertiu para o risco de um novo levante palestino. O presidente da Palestina, Mahmoud Abbas, afirmou que Jerusalém é a “eterna capital do Estado da Palestina”  e que a decisão “ equivale aos EUA. abandonarem seu papel como mediador do processo de paz.” O presidente francês, Emmanuel Macron, qualificou de “lamentável” e pediu para que se evite “a violência a qualquer preço.” O governo britânico também criticou. “ Acreditamos que é de pouca ajuda no que diz respeito à perspectiva de paz na região”, expressou o governo de Theresa May. A chanceler alemã, Angela Merkel, declarou que seu governo não apóia a decisão de Trump. O primeiro- ministro  israelense, Benjamim Netanyahu, foi o único a comemorar o “dia histórico” e assegurou que esta não mudará o status quo em torno dos lugares sagrados da Cidade Santa para judeus, cristãos e muçulmanos. Estamos realmente às portas da guerra do Armagedom? Deus sempre falou de seus planos através de seus profetas. Jesus Cristo profetizou aos apóstolos o que aconteceria ao povo de Israel. Os recentes acontecimentos em Jerusalém chamam atenção do mundo para o que pode ser o início da última profecia que está prestes a cumprir.



"Eis que eu farei de Jerusalém um copo de tremor para todos os povos em redor, e também para Judá, durante o cerco contra Jerusalém. E acontecerá naquele dia que farei de Jerusalém uma pedra pesada para todos os povos; todos os que a carregarem certamente serão despedaçados; e ajuntar-se-á contra ela todo o povo da terra.”(Zacarias 12:2,3).


Com certeza muitos fatos foram estampados nos grandes canais noticiosos, em decorrência da atitude norte americana, reconhecendo Jerusalém como capital de Israel. A Igreja de Deus (7ºDia) está atenta ao prenúncio da volta do Nosso Senhor Jesus Cristo, diante das profecias que com fidelidade estão acontecendo.

Em breve Jesus Cristo reinará sobre toda a Terra com a Sua Igreja! Os sinais da vinda de Cristo se mostram cada vez mais. Se Jesus voltasse hoje como estaria a tua vida diante de Deus?

Paz Seja Convosco!
Pr. Muricy Marinho da Rocha Loures Jr. (Laranjeiras do Sul Pr.)
29/01/2018