ARTIGOS

AMOR À VIDA!



AMOR À VIDA!

No Brasil foi instituído pela Lei Federal nº 12.647/12 – a data de 21 de Outubro como dia Nacional de Valorização da Família. Os legisladores justificam que a data serve para despertar e alertar a sociedade e os Poderes constituídos para todos os problemas que afligem a família brasileira como a violação doméstica, o trabalho infantil, consumo de drogas, o desemprego, a falta de condições dignas de moradias, a dificuldade de acesso aos serviços de saúde. Hoje se observa no seio da sociedade “moderna” o reconhecimento por parte da justiça as uniões “homoafetivas” como entidade familiar, atribuindo-lhes os mesmos direitos e obrigações da união estável heteroafetiva, bem como a assegurar acesso ao casamento. Este é o mundo que se apresenta aos nossos olhos – nos que somos estudantes das Sagradas Escrituras e Amamos a Palavra do SENHOR!

Preocupa à vista dos legisladores, de que há necessidade não apenas de uma legislação, não só para conceder direitos, mas também para criminalizar a homofobia!

Vivemos num mundo onde há filhos que tem mais de um lar, convivem com os novos parceiros do pai e da mãe e constroem vínculos fraternais com os filhos de cada um deles. Ou seja, quando mais pessoas desempenham as funções parentais, as crianças podem ter mais de um pai e mais de uma mãe, fenômeno que passou a ser chamado de multiparentalidade.

Vejam prezados irmãos e internautas, que agora o sonho de ter filhos está ao alcance de qualquer um. Ninguém precisa de par, manter relações sexuais, ser fértil para tornar-se pai ou mãe. Como a fecundação passou a contar com a participação de mais pessoas, nada justifica alijar qualquer delas do vínculo de filiação. O fato é que de há muito o conceito da família se desatrelou do modelo matrimonializado e apoiado pela Palavra do SENHOR! Agora o conceito de família engloba arranjos de convivência sem o selo do casamento e independente da identidade sexual de seus membros.

Se a Constituição Federal preconiza e reconhece como entidade familiar, merecedora da especial proteção do Estado, não só o casamento como também a união estável e a família monoparental (Art. 226 da C.F.), nós como IGREJA devemos continuar defendendo o verdadeiro conceito de família em harmonia com que nos é ensinado pelas Sagradas Escrituras.

Existem juristas de que defendem a idéia – e desta maneira grande parte da população também assim vê – de que na realidade dos dias de hoje, é indispensável ter uma visão plural das estruturas vivenciais, inserindo no conceito de entidade familiar todos os vínculos afetivos que, por imperativo de ordem ética, devem gerar direitos e impor obrigações. Ou seja, não é mais possível viver em um mundo que exclua pessoas do direito à felicidade. Fala esta promovida pelos meios de comunicação como a TV, revistas, jornais etc.. os quais são formadores de opinião. Proclamam Amor à Vida ensinando em telenovelas como desagregar a família e a sociedade!

Esquecem estes, de que a felicidade vem de um Poder Superior o qual está no comando de todas as coisas. DEUS e o Seu Filho Unigênito JESUS CRISTO. Para aqueles que pensam que o importante é ser feliz não importando de que maneira, leia o seguinte:

“O Senhor disse: Visto que este povo se aproxima de mim e com a sua boca e com os seus lábios me honra, mas o seu coração está longe de mim, e o seu temor para comigo consiste só em mandamentos de homens, que maquinalmente aprendeu, continuarei fazer obra maravilhosa no meio deste povo; sim, obra maravilhosa e um portento; de maneira que a sabedoria dos seus sábios perecerá, e a prudência dos seus prudentes se esconderá.” (Isaías 29 : 13, 14)

O verdadeiro AMOR À VIDA é observar e praticar os sábios ensinos advindos do Livro dos Livros. Um conselho para todos nós que somos Filhos de Deus!

“Se perseverarmos, também com ele reinaremos. Se o negarmos, ele, por sua vez nos negará;”

A desagregação do conceito de família conforme o entendimento do mundo é mais um sinal evidente da volta do SENHOR! Assim como os discípulos e os intérpretes das profecias deixaram de perceber um dos mais importantes sinas da Sua primeira vinda, não poderíamos estar despercebidos quanto aos sinais que estão ocorrendo ao nosso redor e que indicam a proximidade de Sua vinda? Se vivermos cada dia como se Ele viesse hoje, não seremos apanhados de surpresa!

Deus os abençoe em Cristo Jesus!

Feliz Sábado!

Pastor Muricy M. da Rocha Loures Jr. (Laranjeiras do Sul Pr.)
04/04/2015