ARTIGOS

O FARAÓ DO ÊXODO



O FARAÓ DO ÊXODO

Quando assistimos a um filme sobre a saída de Israel do Egito
ou sobre os Dez Mandamentos, geralmente o Faraó do Êxodo é
apresentado como sendo Ramsés II.

Todavia, no que diz respeito aos eventos que culminaram na
libertação de Israel do cativeiro egípcio, a interpretação que mais se
aproxima dos fatos nos leva há duzentos anos antes do citado Faraó.

Ramsés II pertenceu a 19ª Dinastia Egípcia e reinou de 1279 a
1212 A.C. Não poderia ter sido ele o Faraó que Moisés enfrentou.
Vejamos:
A princípio o que temos a definir é a data em que Israel saiu do
Egito e existe uma informação que pode nos ajudar neste sentido:
trata-se do reinado de Salomão.

É dito em I Reis 11:42: “E o tempo que reinou Salomão, em
Jerusalém, sobre todo o Israel foi quarenta anos”.

Salomão reinou em Israel por quarenta anos e estes são
indiscutivelmente bem fixados na cronologia bíblica e histórica:
abrangem o período de 970 a 930 A.C.

Conhecendo o tempo de Salomão, tem-se agora o que é descrito
em I Reis 6:1: “E sucedeu que no ano de quatrocentos e oitenta,
depois de saírem os filhos de Israel do Egito, no ano quarto do
reinado de Salomão sobre Israel, no mês de Zive (este é o mês
segundo), começou a edificar a casa do Senhor”.

Salomão começou a edificar o templo em Jerusalém no quarto
ano de seu governo e a Bíblia declara que este ano correspondia ao
ano 480 depois da saída dos filhos de Israel da terra do Egito.

Em suma: A construção do templo teve início 480 anos depois
do Êxodo.

Ora, se Salomão reinou de 970 a 930 A.C., o quarto ano de seu
reinado foi 966 A.C. Temos a data do Êxodo voltando a 480 anos
atrás, o que nos situa em 1446 A.C.

Em 1446 A.C., o Egito vivia sob a 18ª Dinastia e ocupava o
trono o Faraó Amenotepe II.

Amenotepe II foi, mui certamente, o Faraó que Moisés
enfrentou na grande missão de livrar Israel do jugo opressor.

Havia entre os antigos egípcios uma tradição de que o Faraó
sempre deveria ser sucedido por seu primeiro filho.

No entanto, o sucessor de Amenotepe II, o Faraó Tutmés IV,
não era o seu filho mais velho.

Isto vem a se harmonizar com o registro bíblico.

A última praga enviada por Deus matou a todos os
primogênitos do Egito, inclusive o primogênito do Faraó: Êxodo
12:29,30.

Então, o Faraó do Êxodo não pode seguir a antiga tradição real
e teve um sucessor que não era o seu primogênito.

Foi o que aconteceu com Amenotepe II.

Pastor Jesiel Lincoln dos Santos