ESTUDOS

A VERDADE SOBRE O LAVA-PÉS



O lava-pés foi instituído para nos provar a importância da humildade. É a oportunidade para demonstrarmos nosso amor pelos irmãos e de que, ainda haja uma hierarquia, todos nós somos sevos. Quando deve ser celebrado?

Por que o Lava-pés?

A maneira de pensar dos apóstolos, embora séculos atrás, não era muito diferente da nossa nestes tempos modernos. A ideia de ser menos entre os demais não era o ideal de muitos deles.
Certa ocasião a mãe de dois discípulos do Senhor apresentou um pedido interessante a Jesus: que seus dois filhos, no Reino, ocupassem a direita e a esquerda do trono do Senhor:
“Então, se chegou a ele a mulher de Zebedeu, com seus filhos, e, adorando-o, pediu-lhe um favor. Perguntou-lhe ele: Que queres? Ele respondeu: Manda que, no teu reino, estes meus dois filhos, se assentem, um à tua direita, e o outro à tua esquerda.” (Mat. 20:20,21 RA)
Estou pedindo, evidentemente não aceito por Jesus, acabou provocando a indignação dos demais:
“Ora, ouvindo isto os dez, indignaram-se contra os dois irmãos. Então, Jesus, chamando-os, disse: Sabeis que os governadores dos povos os dominam e que os maiorais exercem autoridades sobre eles. Não é assim entre vós; pelo contrário, quem quiser tornar-se grande entre vós, será esse o que vos sirva; e quem quiser ser o primeiro entre vós será vosso servo; tal como o filho do Homem, que não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos.” (Mat. 20:24-28 RA)
Na Sua última oportunidade com os apóstolos, Jesus deitou a água da bacia e passou a lavar-lhes os pés, o que deixou a todos estupefatos. Como podia estar acontecendo aquilo?
Pedro chegou a se opor, mas se deu por vencido quando Jesus lhe observou que para ter parte com Ele, era mister que lhe permitisse o lava-pés.
Muitas coisas os discípulos não entendiam, no momento.
Após lavar-lhes os pés, Jesus retornou à mesa e passou a expor a importância daquele ato:
“Depois que lhes lavou os pés, e tomou as suas vestes, e se assentou outra vez à mesa, disse-lhes: Entendeis o que vos tenha feito?
Vós me chamais de Mestre e Senhor e dizeis bem, porque eu o sou. Ora, se eu, Senhor e Mestre, vos laveis os pés, vós deveis também lavar os pés uns aos outros. Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu voz fiz, façais vós também.”
(Jo. 13:12-15).
Aquele ensino passou a ser um mandamento do Senhor. Qual, no entanto, era seu objetivo?
Aqui o Mestre demonstrou-lhes a necessidade da humildade e de sempre estar pronto a servir, mesmo que estejamos em posição de comando:
“Na verdade, na verdade vos digo que não é o servo maior que o seu senhor, nem o enviado, maior do que aquele que o enviou. Se sabeis essas coisas, bem-aventurados sois se a fizerdes.” (Jo. 13:16,17)
“Suscitaram também entre si uma discussão sobre qual deles parecia ser o maior. Mas Jesus lhes disse: Os reis dos povos dominaram sobre eles, e os que exercem autoridades são chamados benfeitores. Mas vós sois assim; pelo contrário, o maior entre vós seja como o menor; e aquele que dirige seja como o que serve. Pois qual é maior: quem está à mesa ou quem serve? Porventura, não é quem está à sua mesa? Pois, no meio de vós, eu sou como quem serve.
(Luc. 22:24-27)
Como o lava-pés Jesus nos ensinou a fraternidade e unidade, pondo fim às rivalidades e aspirações carnais como aquelas de quem seria o maior no Reino ou de quem ocuparia o lado direito ou esquerdo no Trono.

Antes ou depois da Ceia do Senhor?

“E, acabada a ceia, tendo já o diabo posto no coração de Judas Iscariotes, filho de Simão, que o traísse.” (Jo. 13:2 RC)
Durante a ceia, tendo já o diabo posto no coração de Judas Iscariotes, filho de Simão, que o traísse a Jesus.” (Jo 13:2 RA)
Russel Norman Champlin, em “O Novo Testamento Interpretado, pg. 500, esclarece porque uma versão diz durante e outra diz acaba a ceia:
“Durante a ceia...” é uma tradução mais em conformidade com o original grego do que aquela que aparece em algumas versões ‘após a ceia’. ‘Durante’ é segundo o texto dos mss Aleph (1) BLW. Porém, ‘após’ conta com o apoio de alguns manuscritos importantes, que atestam essa variante como P (66), Aleph (c), Delta e Theta. Não abstante, a maioria dos editores dá preferência ao texto que diz ‘durante’.
Pelo que vemos, tanto uma quanto a outra versão, tem fundamento em manuscritos gregos originais e são autênticas. Temos, portanto, que conviver com ambas e buscarmos uma explicação lógica para o texto.

DURANTE OU ACABADA A CEIA?

“E acabada a ceia” (Jo 13:2 RC): Neste caso vamos considerar que a ceia que estava acabada era a ceia pascal. Terminando aquela ceia, Jesus parte para o lava-pés, mas depois retorna a mesa e dá sequência:
“Depois que lhes lavou os pés, e tomou as suas vestes, e se assentou outra vez, à mesa, disse-lhes: Entendeis o que vos tenha feito?” (Jo. 13:12 RC)

“Durante a ceia” (Jo 13:2 RA): Neste outro caso, cujo manuscrito é o de maior aceitação, vamos analisar o texto no grego interlinear:

Και {E} δειπνο {deipnon/ceia} γενομενομ {ginomenon/acontecendo}

A tradução original grego está corretíssima: “E ceia acontecendo” realmente significa: “durante a ceia”. No texto a seguir temos a prova de que Jesus ainda estava na ceia, quando se levantou para iniciar o lava-pés:

“Levantou-se da ceia, tirou a vestimenta de cima e, tomando uma toalha, cingiu-se com ela.” (Jo. 13:12 RC)

εγειρεται {ele levantou} εκ {de} του {a} δειπνο {ceia}

JESUS INTERROMPE A CEIA

Pelas explicações acima, fica evidente que todos os ingredientes, tanto para a Ceia Pascal, quanto para a Ceia do Senhor, estavam naquela mesa. Os discípulos seguramente, não tinham a menor ideia de que ali outra Ceia seria instituída. Ao concluir um parte do serviço (a ceia pascal), Jesus deixa a mesa por um tempo para estabelecer o lava-pés, mas retoma e segue a Ceia, agora instituindo com os emblemas sagrados (Pão Asmo e Vinho Puro) a conhecida “Ceia do Senhor”.

JUDAS PRESENTE NO LAVA-PÉS

É obvio que o lava-pés aconteceu entre as duas ceias: a pascal e a do Senhor propriamente. Para entendermos esta realidade, basta que analisemos tudo o que referenciava a Judas Iscariotes e sua obra. Note que diante da recusa de Pedro. O que era perfeitamente justiçável, Jesus o exorta e esclarece que nem todos ali estavam limpos:
“Aproximou-se, pois, de Simão Pedro, que lhe disse: Senhor, tu lavas-me os pés a mim? Respondeu-lhes Jesus: O que eu faço não sabes agora; compreendê-lo-ás depois. Disse-lhes Pedro: nunca me lavarás os pés. Respondeu-lhes Jesus: Se eu não te lavar, não tens parte comigo. Então, Pedro lhe pediu: Senhor, não somente os pés, mas também as mãos e a cabeça.
Declarou-lhes Jesus: Quem já se banhou não necessita de lavar senão os pés; quanto ao mais, está todo limpo. Ora, vós estais limpos, mas não todos. Pois ele sabia quem era o traidor. Foi por isso que disse: Nem todos estais limpos.
(Jo. 13:6-11)
Ora, se o lava-pés fosse depois da Ceia do Senhor, Judas já teria se retirado e não faria nenhum sentido Jesus novamente falar no assunto. Ademais, seria um absurdo Jesus insistir que ali nem todos estavam limpos, quando Judas já tivesse sido revelado e estava longe!
“Depois que lhes lavou os pés, e tomou as suas vestes, e se assentou outra vez à mesa, disse-lhes: Entendereis o que vos tenho feito?” (Jo. 13:12 RC)
Por “...que lhes lavou os pés...” fica claro que Judas participou do lava-pés. Todavia, alguém dirá: Então ele foi também purificado! Nada disso. Judas era hipócrita isto vamos ver daqui a pouco.

JESUS FALA NO TRAIDOR E FICA TENSO

Retornando à mesa, Jesus explica o lava-pés, instituindo como mandamento e bem-aventurados e segue dizendo:
“Não falo a respeito de todos vós, pois eu conheço aqueles que escolhi; é, antes, para que se cumpra a Escritura: Aquele que come do meu pão levantou contra mim seu calcanhar. Desde já vos digo, antes que acontece, para que, quando acontecer, creiais que EU SOU.” (Jo. 13:18,19 RA)
Note que a expressão: “Aquele que come do meu pão...” indica que Judas ainda estava ali com Jesus e os onze (verbo no presente).
A partir daí, Jesus se angustia e diz:
“Ditas estas coisas, angustiou-se Jesus em espírito e afirmou: Em verdade, em verdade vos digo que um dentre vós me trairá.(Jo. 13:21 RA)
O texto está numa sequência e os acontecimentos também. Agora Jesus, tenso e angustiado, aperta o cerco e diz que estava ali entre eles, o traidor.
O inacreditável a ideia de que os versículos 18-30 estão fora de ordem e se referem a fatos ocorridos antes do lava-pés. Isto é torcer as Escrituras, para o que há condenação:
“Falando disto, como em todas as suas epístolas, entre as quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem e igualmente as outras Escrituras, para sua própria perdição.(2Pe. 3:16)
Ninguém pode desmembrar ou isolar versículos para dizer que a Ceia foi depois do lava-pés ou negar a presença de Judas entre Jesus e os onze até aquele momento!
Foi neste momento, depois da ceia pascal, depois do lava-pés e depois que Jesus retornou à mesa, que os apóstolos começaram a indagar entre si, quem seria o tal traidor.
“Então, os discípulos olharam uns para os outros, sem saber a quem ele se referia. Ora, ali estava conchegado a Jesus um dos seus discípulos, aquele quem ele amava; a esse fez Simão Pedro sinal, dizendo-lhe: Pergunta a quem ele se refere. Então, aquele discípulo, reclinando-se sobre o peito de Jesus, perguntando-lhe: Senhor, quem é?” (Jo. 13:22-25 RA)
Nesta altura de nosso estudo, convém conferirmos nos outros evangelhos, em que momento daquela reunião ocorreu esta indagação dos discípulos.
É importante compreendermos que cada escritor conta o fato dando mais ou menos detalhes. João, por exemplo, preferiu falar do lava-pés, fazendo pouca menção da Ceia.
Preste bem atenção no comentário de Jesus sobre o traidor e no momento em que os discípulos procuram identificá-lo; em que parte da cerimônia isto ocorre.

REVELAÇÕES DE MATEUS 26:20-30:

20 Chegada à tarde, pôs-se ele à mesa com os doze discípulos.
21 E, enquanto comiam, declarou Jesus: Em verdade vos digo que um dentre vós me trairá.
22 E eles, muitíssimo contristados, começaram um por um a perguntar-lhe: Porventura, sou eu, Senhor?
23 Ele respondeu: O que mete comigo a mão no prato, esse me traíra.
24 O filho do Homem vai, como está escrito a seu respeito, mas ai daquele por intermédio de quem o Filho Homem está sendo traído! Melhor lhe fora não haver nascido!
25 Então, Judas, que traía, perguntou: Acaso, sou eu, Mestre? Respondeu-lhe Jesus: Tu o disseste.
26 Enquanto comiam, tomo Jesus um pão, e, abençoando- o, o partiu, e o deu aos discípulos, dizendo: Tomais, comei; isto é o meu corpo.
27 A seguir, tomou um cálice e, tendo graças, o deu aos discípulos, dizendo: Bebei dele todos;
28 porque isto é o meu sangue, o sangue da nova aliança, derramado em favor de muitos, para remissão dos pecados.
29 E vos digo que, desta hora em diante, não beberei deste fruto da videira, até aquele dia em que o hei de beber, novo, convosco no reino de meu Pai.
30 E, tendo cantado um hino, saíram para o monte das Oliveiras. (Mat. 26:20-30)


REVELAÇÕES DE MARCOS 14:17-26

17 Ao cair da tarde, foi com os doze.
18 Quando estavam à mesa e comiam, disse Jesus: Em verdade vos digo que um dentre vós, o que come comigo, me traíra.
19 E eles começaram a entristecer-se e a dizer-lhe, um após o outro: Porventura, sou eu?
20 Respondendo-lhes: É um dos doze, o que mete comigo a mão no prato.
21 Pois o Filho do Homem vai, como está escrito a seu respeito; mas ai daquele por intermédio de quem o Filho do Homem está sendo traído! Melhor lhe fora não haver nascido!
22 E, enquanto comiam, tomou Jesus um pão e, abençoando-o, o partiu e lhes deu, dizendo: Tomai, isto é o meu corpo.
23 A seguir, tomou Jesus um cálice e, tendo dado graças, o deu aos seus discípulos; e todos beberam dele.
24 Então, lhes disse: Isto é o meu sangue, o sangue da nova aliança, derramado em favor de muitos.
25 Em verdade vos digo que jamais beberei do fruto da videira, até àquele dia em que o hei de beber, novo, no reino de Deus.
26 Tendo cantado um hino, saíram para o monte das Oliveiras.


REVELAÇÕES DE LUCAS 22:14-30

14 Chegada a hora, pôs-se Jesus à sua mesa, e com ele os apóstolos.
15 E disse-lhes: Tendo desejado ansiosamente comer convosco está Páscoa, antes do meu sofrimento.
16 Pois vos digo que nunca mais a comerei, até que ela se cumpra no reino de Deus.
17 E. tomando um cálice, havendo dado graças, disse: Recebei e reparti entre vós;
18 pois vos digo que, de agora em diante, não mais beberei do fruto da videira, até que venha o reino de Deus.
19 E, tomando um pão, tendo dado graças, o partiu e lhes deu, dizendo: Isto é o meu corpo oferecido por vós; fazei isto em memória de mim.
20 Semelhantemente, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este é o cálice da nova aliança no meu sangue derramado em favor de vós.
21 Todavia, a mão do traidor está comigo à mesa.
22 Porque o Filho do Homem, na verdade, vai segundo o que está determinado, mas ai daquele por intermédio de quem ele está sendo traído!
23 Então, começaram a indagar entre si quem seria, dentre eles, o que estava para fazer isto.
24 Suscitaram também entre si uma discussão sobre qual deles parecia ser o maior.
25 Mas Jesus lhes disse: Os reis dos povos dominam sobre eles, e os que exercem autoridades são chamados benfeitores.
26 Mas vós não sois assim; pelo contrário, o maior entre vós seja como o menor; e aquele que dirige seja como o que serve.
27 Pois qual é maior: quem está à mesa ou quem serve? Porventura, não é quem está à mesa? Pois, no meio de vós, eu sou como quem serve.
28 Vós sois os que tender permanecido comigo nas minhas tentações.
29 Assim como meu Pai me confiou um reino, eu vo-lo confio,
30 para que comais e bebais à minha mesa no meu reino; e vos assentareis em tronos para julgar as doze tribos de Israel.


RESUMO

1. Mateus e Marcos afirmam que foi “...enquanto comiam...” que Jesus começou a falar no traidor. Lucas confirma dizendo que foi “...quando estavam à mesa e comiam.”
Lucas já demonstrava que Judas estava presente mesmo na Ceia do Senhor, pois foi durante esta que Jesus disse “Todavia, a mão do traidor está comigo à mesa.” (Luc. 22:21)
2. Mateus e Marcos afirmam eu foi neste momento que os discípulos começaram a indagar sobre quem seria o traidor: “começar por um a perguntar-lhe: Porventura, sou eu, Senhor?” (Mat. 26:22). “E eles começaram a entristecer-se e a dizer-lhe, um após outro: Porventura, sou eu?” (Mc. 14:19).
Lucas nos prova que foi durante ou logo após Jesus servir os emblemas que os discípulos passaram a questionar: “Semelhante, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este é o cálice da nova aliança no meu sangue derramado em favor de vós. Todavia, a mão do traidor está comigo à mesa.
Porque o Filho do Homem, na verdade vai segundo o que está determinado, mas ai daquele por intermédio de quem ele está sendo traído! Então, começaram a indagar entre si quem seria, dentre eles, o que estava para fazer isto.
(Luc. 22:20-23)
3. Os quatro evangelistas falam de Judas metendo a mão no prato ou comendo junto com todos eles:
Mateus 26:23 E Ele respondeu: O que mete comigo a mão no prato, este me traíra.
Marcos 14:20 Respondeu-lhes: É um dos doze, o que mete comigo a mão no prato.
Lucas 22:21 Todavia a mão do traidor está comigo à mesa. Lucas disse está e não esteve!
João 13:18: “Não falo a respeito de todos vós, pois eu conheço aqueles que escolhi; antes, para que se cumpra a Escritura: “Aquele que come do meu pão levantou contra mim seu calcanhar.” João não disse aquele que comia, mas aquele que come. Jesus e os doze estavam comendo naquele momento, depois de findo o lava-pés!
4. Jesus se angustia e revela o traidor:
Depois que o Mestre volta à mesa, ensina o mandamento e fala em Judas; se angustia e o revela ao discípulos amado (provavelmente a João):
“Diante estas coisas, angustiou-se Jesus em espírito e afirmou: Em verdade, em verdade vos digo que dentre vós me trairá.” Então, os discípulos olharam uns para os outros, sem saber a quem ele se referia. Ora, ali estava conchegado a Jesus uns dos seus discípulos, aquele a quem ele amava; a esses fez Simão Pedro sinal, dizendo-lhe: Pergunta a quem ele se refere. Então, aquele discípulo, reclinando-se sobre o peito de Jesus, perguntou-lhe: Senhor, quem é? Respondeu Jesus: É aquele a quem eu der o pedaço de pão molhado. Tomou, pois, um pedaço de pão e, tendo-o molhado, deu-o a Judas, filho de Simão Iscariotes.(Jo. 13:21-26)

Importante: Note que João, além de provar que Judas estava presente no lava-pés, coloca estes acontecimentos com respeito a Judas depois que Jesus retomou à mesa. Ora, se foi depois do lava-pés, ao retornar à mesa, que Jesus realmente revela o traidor, conforme João 13, e segundo os demais evangelistas, isto ocorreu durante a Ceia do Senhor, fica claro que o lava-pés ocorreu após ou durante o desenrolar da Ceia Pascal, porém, antes da Ceia do Senhor.

JUDAS TOMA BOCADO E SAI LOGO

Novamente, coube a João revelar os detalhes da saída de Judas, logo após receber o bocado molhado:
“E, após o bocado imediatamente, entrou nele Satanás. Então disse Jesus: O que pretendes fazer, faze-o depressa. Nenhum, porém, dos que estavam à mesa percebeu a que fim lhe dissera isto. Pois, como Judas era quem trazia a bolsa, pensaram alguns que Judas lhe dissera: Compra o que precisamos para a festa ou lhe ordenara que desse alguma coisa aos pobres. Ele, tendo recebido o bocado, saiu logo. E era noite.” (Jo. 13:27-30)
Ora, amigo leitor, a Bíblia é clara em afirmar que Judas saiu logo, como Jesus lhe ordenou.
Suponhamos que a Ceia do Senhor tivesse sido acabada e fosse mesmo antes do lava-pés e que os versos 18-31 de João 13 estivessem fora de uma ordem sequencial, como querem alguns. Neste caso:
1. Judas não poderia ter estado presente no lava-pés;
2. Por que Jesus falou a Pedro que nem todos ali estavam limpos, se Judas já tinha saído?
3. Por que Jesus insistiu no assunto de Judas depois que voltou à mesa?
4. Se os versos de 18-30 estão fora de ordem, por que Jesus mexeu com Judas no lava-pés?
5. Por que Jesus voltou à mesa, se não havia mais ceia?

JUDAS NO LAVA-PÉS E CEIA? COMO?

Alguém poderá indagar:

1. Se os discípulos estavam limpos, mas não todos, e isto implicava na necessidade de submeterem-se ao lava-pés, foi então Judas purificado?
2. Judas teria também parte com Jesus?
3. Como poderia Judas naquela situação tomar da Ceia do Senhor?
Nada disto seria realmente possível se ele não fosse um hipócrita. O homem era tão terrível que também queria saber de Jesus quem era o tal do traidor:
“Então, Judas, que o traía, perguntou: Acaso, sou eu, Mestre? Respondeu-lhe Jesus: Tu o disseste.” (Mat. 26:25)
Judas, evidentemente, não teve partes com Jesus, mesmo se submetendo ao lava-pés. Estava disposto a fazer qualquer coisa para seguir em sua dissimulação e ficar bem com os demais apóstolos.
Acredito que uma das causas que aumentou a angústia de Jesus, foi aquele homem se fazer de inocente no lava-pés e na ceia e ali permanecer como se nada estivesse acontecendo, até pegar o bocado molhado.
Nada pode purificar uma pessoa que permanece hipócrita. Ainda que está se batize, participe do lava-pés e da Ceia, isto nada o afeta, a não ser para a condenação. Assim que, Judas podia sim participar do lava-pés e dos emblemas sagrados, só que isto lhe seria para o mal.