ESTUDOS

A FUNDAÇÃO E MISSÃO DA IGREJA DE DEUS



A FUNDAÇÃO E MISSÃO DA IGREJA DE DEUS


LEITURA RESPONSIVA: I Pedro 2:1-10


VERSO ÁUREO: “Pois ninguém pode por outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo” (I Coríntios 3:11)


INTRODUÇÃO DA LIÇÃO

Há inúmeros movimentos em nossos dias, muitos dos quais se dominam “igrejas” e que se julgam representantes de Deus. Perante os homens, são reconhecidos. As origens destes viram muito. Uns são uma réplica de outros. Um pequeno desentendimento já justifica uma nova seita. Por que isto? As Sagradas Escrituras dão suporte para tantas denominações? Qual é a finalidade destes agrupamentos?

QUESTIONÁRIO

1. Segundo as Escrituras, onde, por quem e quando foi a Igreja fundada ou reorganizada?

Como Igreja, foi fundada; como Comunidade de Israel, reorganizada em Jerusalém (Luc; 24:46-49; Atos. 1:4; 2:1-4,38,47), por Jesus, há quase dois mil anos (Mat. 16:18; Luc. 20:17). A Igreja é a continuidade do judaísmo mas um judaísmo reformulado e puro, dentro de um novo pacto ratificado pelo sangue de Cristo (Atos. 15:14-17; Efés. 2:12).

2. O que vem a ser a Igreja, segundo as Escrituras?

Corpo de Cristo (Jo 11:51,52; Efés. 1:22,23; 2:16; 4:15,16; 5:23; Col. 1:24).

3. É permitido divisões e formações de “outras igrejas” ou “ministérios”?

Não. Jesus veio unir os filhos de Deus que estavam dispersos em um único corpo, a saber: a Igreja (Jo 11:51,52; Efés. 2:16). Completo os 144 mil israelitas, os gentios foram enxertados na oliveira (Israel- Rom 11:16-24), sendo Cornélio o primeiro deles (Atos 11:1-18).

4. Durante a era negra, deixou de existir a Igreja apostólica?

Jesus assegurou que estaria com os seus, todos os dias, até a consumação dos séculos e que Sua Igreja jamais seria destruída (Mat. 16:18; 28:20). A mulher foi alimentada e preservada por Deus (Apoc. 12:6, 13-17), longe da vista da serpente, durante os 1260 dias proféticos (ou 1260 anos).

5. Por que há tantas denominações em nossos dias? Quem reconhece estes movimentos?

Por ignorância dos ensinos bíblicos e apoio aos costumes advindos dos movimentos protestantes. Dividem-se e formam novos grupos, por questões políticas, ambição por lideranças de opinião em matéria de doutrina. O Estado reconhece-os e é muito simples de se registrar um reorganização, todavia, Deus só reconhece um povo, o Seu. Assim como só existe um Cristo, só um Cabeça, logicamente Ele só tem um único Corpo, a sua Igreja. O resto é problema dos homens.

6. Os movimentos pentecostais e neopentecostais, divulgando curas e milagres crescem assustadoramente. Estes são confiáveis diante de Deus?

Como poucas exceções, os crentes convertidos pelo sistema de pregações baseados em curas e milagres, se tornam dependentes destes esquemas. Sempre estão atrás bênçãos e do pão que parece. Nos dias de Jesus, igualmente, multidões, com objetivo idênticos, O seguiam. Nos momentos cruciais, O abandonaram. Jesus não confiava em muitos destes crentes (Jo 6:10,11,26,60,66; 2:23-25). Alguns destes movimentos se enchem de doutrinas humanas, para vender a ideia de um caminho estreito; outros são totalmente liberais, permitindo todo o tipo de mundanismo para arrebanhar um número maior de fiéis.

7. Quais são os principais motivos da origem da Igreja de Deus?

A Igreja é a reorganização da Comunidade de Israel e veio para preencher o espaço que os israelitas deixaram a desejar. Ao rejeitar a Jesus, tropeçaram na Pedra Angular e o reino sacerdotal lhes foi tirado (Luc. 20:16,17) A Igreja é o sacerdotal real, a nação santa e o povo adquirido, para anunciar às nações as virtudes dAquele que nos chamou das trevas para Sua maravilhosa luz (I Ped. 2:6-10). Anuncia o legítimo Evangelho do Reino de Deus, com a vinda de Jesus e o Reino Messiânico na Terra.

8. Que ensinamentos diferem as denominações vinculadas à religião romana, da Igreja de Deus? 

As religiões “cristãs” não conseguem esconder seus vínculos com a religião papal. Por mais que tentem livrar-se destes empecilhos, sempre fica um que as identifica com a mãe Roma. Entre estes enumeramos: batismo infantil; batismo por aspersão; batismo na fórmula trinitariana; trindade; imortalidade da alma; morada no Céu; guarda do domingo, como dia do Senhor; celebração ou participação do espírito do natal em 25 de dezembro. A pregação e crença obcecada em uma morada no Céu é a maior característica do “evangelho” que pregam. É o galardão que prometem aos que aceitam a fé. Seus hinos estão repletos desta falsa expectativa. A igreja de Deus anuncia a vinda de Jesus e a implantação de Seu Reino aqui na Terra.